Guia rápido e prático de como tratar água da piscina

Dizem alguns espertinhos que o melhor não é ter uma piscina, mas ser próximo de alguém que tenha esse espaço de lazer em casa. Concorde você ou não, o fato é que o gracejo esconde um trabalho e uma dúvida bastante comum: como tratar água da piscina?

Isso porque as piscinas precisam estar sempre limpinhas e cristalinas para evitar diversos problemas de saúde causados por fungos e sujeiras. Mas, afinal, como tratar água de piscina da maneira correta? Será que é mesmo tão trabalhoso assim? Descubra a seguir.

 

A importância do tratamento para a família e a comunidade

 

Assim como o cuidado com as plantas de um jardim, a manutenção da piscina é um cuidado que deve fazer parte da rotina de quem conta com a estrutura em casa. Até porque a gente nunca sabe quando irá bater aquela vontade de dar um mergulho. 

Além disso, é muito frustrante quando o dia amanhece ensolarado, mas não podemos entrar na água porque ela está muito suja. Por mais que nessas horas possa vir o ímpeto de mergulhar na água suja mesmo, burlar as regras nesse caso não é nada recomendado. 

Isso porque uma água muito suja e não tratada pode estar contaminada por diversos micro-organismos. Estes, por sua vez, podem desencadear quadros de diarreia, infecções respiratórias, otites, entre outros problemas de saúde.

Além de ser nocivo para aqueles que venham a entrar na piscina suja, uma água sem tratamento também é muito ruim para a comunidade em geral, uma vez que se torna um local propício para o desenvolvimento dos ovos do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. 

 

Como tratar a água da piscina: passo a passo

 

A regra é clara: quanto mais tempo você deixar a água da piscina sem tratamento, mais trabalhoso e demorado será para colocá-la nos eixos novamente! Mesmo assim, aprender como tratar água da piscina não é nenhum bicho de sete cabeças, como mostra este guia rápido.

 

Passo 1: avaliação dos parâmetros da água

 

Olhando para uma piscina turva ou esverdeada, a gente logo suspeita que deve haver algo errado com a água. No entanto, para fazer as correções adequadas, é preciso aprender como tratar água verde da piscina e saber exatamente o que precisa ser corrigido. É para isso que existem os testes de água.

Vendidos em lojas especializadas em produtos para piscina, esses testes consistem numa fitinha que funciona por colorimetria. Uma vez inserida na água, a fita de teste mostra os seguintes níveis:

  • Alcalinidade: refere-se à quantidade de sais presentes na água e é importante para evitar mudanças no pH. O parâmetro ideal é entre 80 a 120 ppm;
  • pH: refere-se à quantidade de hidrogênio presente na água. É o que define se a água está ácida, neutra ou alcalina. Deve ficar entre 7,0 e 7,4;
  • Cloro livre: como o nome sugere, refere-se à quantidade de cloro presente na água. Ele ajuda a evitar a contaminação por micro-organismos. Deve estar entre 1 e 3 ppm, 
  • Ácido cianúrico: presente nas formulações de cloro, o composto pode ser prejudicial à saúde, devendo ser mantido sempre abaixo de 80 ppm.

Para um resultado mais preciso, procure inserir a fita em uma profundidade média, pelo menos 30 cm abaixo do nível da água. Conte lentamente até três, retire a fita da água e aguarde alguns segundos até que as cores fiquem bem definidas.

 

Passo 2: correção do pH e da alcalinidade

 

Uma vez verificados os níveis de alcalinidade, pH, cloro livre e ácido cianúrico, é chegado o momento de fazer as devidas correções. Então, para aprender como tratar água de piscina, não deixe de obter um redutor ou elevador de alcalinidade. Isso é importante, pois uma alcalinidade inadequada contribui para alterar o pH. 

Para aplicar, siga as orientações do fabricante referentes à diluição do produto e à quantidade necessária para mil litros de água. Após a aplicação, aguarde até que a água tenha sido filtrada por pelo menos seis horas antes de fazer o teste novamente.

Em seguida, faça o mesmo procedimento, dessa vez com o uso de redutores ou elevadores de pH. Você deve aguardar pelo menos três horas de filtragem antes de testar a água novamente. 

 

Passo 3: purificação da água

 

Fundamental para a manutenção da piscina, o cloro pode ser tanto mocinho quanto vilão. Vai depender da quantidade do composto por mil litros de água. Se, por um lado, o cloro pode provocar ardor nos olhos, problemas na pele, entre outros; por outro, ele é fundamental para desinfetar a piscina, eliminando bactérias e outros micro-organismos. 

Portanto, mantenha a água sempre clorada! Mas fique atento à quantidade de produto recomendada pelo fabricante por cada mil litros de água. Após tratamento rotineiro, a piscina poderá ser usada em seguida. 

É importante destacar que medidas preventivas e o uso de produtos adequados ajudam a manter os parâmetros da água estáveis por mais tempo. E assim, você aprende como cuidar da água da piscina de modo fácil e completamente adequado.

Outra dica é manter a piscina coberta quando ela não estiver em uso, verificar o funcionamento do filtro, recolher folhas e outros detritos orgânicos com a ajuda de uma peneira, escovar piso e paredes, e remover sujeiras acumuladas no fundo com a ajuda de um aspirador. 

Compartilhe em suas redes sociais:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para responder às suas perguntas. Pergunte-nos qualquer coisa!